You are currently browsing the monthly archive for abril 2008.

Somos formados de matéria. A menor partícula é conhecida como átomo.
Logo, somos uma aglomeração de átomos!
Simmm! Você é um monte de prótons, neutrons e elétrons…
…possui valência, eletronegatividade, eletropositividade..e todo esse bla bla bla químico.
Mas também possui energia.
Magnetismo.
Eletromagnetismo.
Seu campo eletromagnético talvez não seja tão atraído pelo meu…e por isso, não combinamos…mas não é por isso que será meu inimigo, né? Afinal…na tabela periódica, quem se repele é da mesma “família”, não? rs
Então, para todo elétron que perdemos, liberamos um bocado de energia…e para todo que ganhamos, recebemos um pouco de energia.
Nosso corpo é formado de energia. Sim! Todo ele…sua energia flui de tal maneira, que de certo que não podemos enxerga-la, mas podemos sentí-la…
…e como já diria Einstein: ”energia é massa condensada”; ou talvez, minha massa condensada em joelhos, boca e cérebro seja energia?
Pois é.
Por milhares de anos os chineses vêm mostrando ao mundo suas incríveis técnicas para uma boa qualidade de vida..tudo baseada na energia.
Por milhares de vovós, vem sendo passado o conhecimento empírico das simpatias pra lá de loucas dos nossos antepassados.
Talvez as terapias tenham importância, ou quem sabe até ambas!
Nosso instinto, nossa “mágica”, nossos pressentimentos, talvez não sejam só a palavra vaga sem tamanho embasamento científico que expressa…e sim, uma conspiração energética de tudo que se há no mundo, através do mundo, das coisas, dos fatos, do finito e do infinito.
Então digo: Já se perguntou qual a sua função nesse mundo?
Porque a minha eu já descobri.
Talvez eu seja um “radical livre” do bem.
Ou talvez, o campo onde toda e qualquer angústia possa grudar-se…e com muito prazer.
Afinal, de que dádiva assim dada, eu poderia reclamar? Se quem deu é sábio e foi quem a mim criou?
Lembre-se que nada se cria, tudo se transforma…
E nesse transformador, haverá muita energia para a felicidade, para o amor, para a compaixão…e para o perdão.
Prefiro acreditar que sou assim, tão importante, do que apenas repelir minha natureza.

Anúncios

A gente se pergunta tantas coisas.
Por que isso, por que aquilo.
Por que somos tão diferentes.
Como é capaz.
Por que não é capaz.
Por que um rapaz joga uma filha totalmente indefesa da janela.
Por que isso, por que aquilo.
Gente! Esse é o mundo em que vivemos.
As pessoas são capazes de tudo. E são perdoadas por tudo.
A crueldade existe, assim como o perdão existe.
As pessoas perdoam. As pessoas se irritam.
Dizem que a crueldade é a ausência total de amor.
Quem nunca quis ser um tanto cruel por 1, 2 segundos na vida?
Quantas pessoas sentem vontade de ser cruel com quem faz uma barbaridade dessas?
Somos seres humanos.
E todos podemos ser perdoados.
O que mais me intriga, é como as pessoas mentem.
Essa coragem descomunal de mentir e omitir tudo que aconteceu.
Isso que me deixa injuriado…porque as pessoas morrem.
A hora da morte é quase tão verossímil que a hora do nascimento.
Me pergunto: Porque estamos aqui?
Qual a nossa função?
Pra que estamos aqui?
Pra que vivemos?
Pra que povoamos?
Pra que matamos?
Pra que amamos?
Se fôssemos parte da gramática, seríamos como os verbos.
E podemos ser milhares:
Amar, trabalhar, sentir, ferir, rir, chorar, julgar.
Mas um verbo em particular faz podre a carne a qual utilizamos: o verbo mentir
Acredito e aceito que o pai de Isabela tenha jogado a filha da janela.
Acredito e aceito que as pessoas possam cometer tal maldade.
Acredito e aceito a tristeza das pessoas, por saber que algo tão escabroso aconteceu.
O que não aceito, é uma pessoa se transformar no verbo “jogar” e simplesmente ludibriar tudo e todos, pondo o nome do nosso Criador em vão.
Por isso digo: Era a hora de Isabella, ela tinha que morrer, pois todos no mundo têm sua função…só não sabemos qual. Talvez, um dia, saberemos o de Isabella…
…mas Deus está vendo. Tão onipresente quanto a luz solar.
Então parem pra pensar: Se realmente fizerdes algo como este…será que haverá impunidade? Será que terá uma função boa na vida? E mesmo que o faça…será que valerá a pena esconder de todos, sabendo que jamais esconderá de si mesmo, ou de Deus?
Que infelicidade queres pra tua vida?
Então digo: acredito no ser humano. E de certa forma, acredito quando o pai da menina diz que não é culpado pelo assassinato dela…talvez, eu só tenha a esperança no mundo melhor..ou talvez, não queira acreditar que o ser humano pode ter essa função tão bárbara na vida.
Qual a sua função, já se perguntou?