A gente se pergunta tantas coisas.
Por que isso, por que aquilo.
Por que somos tão diferentes.
Como é capaz.
Por que não é capaz.
Por que um rapaz joga uma filha totalmente indefesa da janela.
Por que isso, por que aquilo.
Gente! Esse é o mundo em que vivemos.
As pessoas são capazes de tudo. E são perdoadas por tudo.
A crueldade existe, assim como o perdão existe.
As pessoas perdoam. As pessoas se irritam.
Dizem que a crueldade é a ausência total de amor.
Quem nunca quis ser um tanto cruel por 1, 2 segundos na vida?
Quantas pessoas sentem vontade de ser cruel com quem faz uma barbaridade dessas?
Somos seres humanos.
E todos podemos ser perdoados.
O que mais me intriga, é como as pessoas mentem.
Essa coragem descomunal de mentir e omitir tudo que aconteceu.
Isso que me deixa injuriado…porque as pessoas morrem.
A hora da morte é quase tão verossímil que a hora do nascimento.
Me pergunto: Porque estamos aqui?
Qual a nossa função?
Pra que estamos aqui?
Pra que vivemos?
Pra que povoamos?
Pra que matamos?
Pra que amamos?
Se fôssemos parte da gramática, seríamos como os verbos.
E podemos ser milhares:
Amar, trabalhar, sentir, ferir, rir, chorar, julgar.
Mas um verbo em particular faz podre a carne a qual utilizamos: o verbo mentir
Acredito e aceito que o pai de Isabela tenha jogado a filha da janela.
Acredito e aceito que as pessoas possam cometer tal maldade.
Acredito e aceito a tristeza das pessoas, por saber que algo tão escabroso aconteceu.
O que não aceito, é uma pessoa se transformar no verbo “jogar” e simplesmente ludibriar tudo e todos, pondo o nome do nosso Criador em vão.
Por isso digo: Era a hora de Isabella, ela tinha que morrer, pois todos no mundo têm sua função…só não sabemos qual. Talvez, um dia, saberemos o de Isabella…
…mas Deus está vendo. Tão onipresente quanto a luz solar.
Então parem pra pensar: Se realmente fizerdes algo como este…será que haverá impunidade? Será que terá uma função boa na vida? E mesmo que o faça…será que valerá a pena esconder de todos, sabendo que jamais esconderá de si mesmo, ou de Deus?
Que infelicidade queres pra tua vida?
Então digo: acredito no ser humano. E de certa forma, acredito quando o pai da menina diz que não é culpado pelo assassinato dela…talvez, eu só tenha a esperança no mundo melhor..ou talvez, não queira acreditar que o ser humano pode ter essa função tão bárbara na vida.
Qual a sua função, já se perguntou?

Anúncios