You are currently browsing the monthly archive for fevereiro 2009.

Fina flor
que exala metáforas
com ardor
sem máscaras
nua d’alma, e de si, vestida de amor.

Vestida de fina e afável gentileza.
De estonteante beleza.
Não a exterior!
Mas aquela, que nos dá a fortaleza
que nos impele com furor
quando, as cartas, tu pões
ou seriam as esmeradas publicações?
Na mesa.

Farta de autoconhecer
de humilde saber
que não sabemos
nem tu, nem eu, nem todos
mas que faz com que procuremos
com acuidade
em nós, satisfatoriamente lidos de ti,
o desejo de sorver e nos servir
de nossa própria curiosidade.

—————————————
Ft – 11.02.2009 – 23:13hs.
—————————————
Essa poesia é em homenagem à querida escritora Monica Montone.
A rainha das metáforas.
E sim! Eu leio o Fina Flor!

Anúncios

Dizem que a vontade humana é aquela que nos impele quando temos um propósito.
Sim!
Há um propósito em tudo que temos vontade. E quando este propósito é importante é onde entra a força de vontade.
Sabe-se que a cada dia, as pessoas sentem vontade de amar.
A cada dia, sentem vontade de ter carinho, amor, atenção e cuidado.
A cada dia, sentem não sentir…e a vontade que existe é de sumir.
Mas, há de se assumir, que vontades são genuínas. Porque nunca adianta dizer não a elas, você sempre terá aquela vontade.
Vontade não é algo de nosso livre-arbítrio.
Às vezes, escolhemos ter…
…às vezes, não escolhemos, ela simplesmente vêm.
Vem e detona você, quando a mesma não é de todo sensata.
Um grande exemplo são as mágoas. Você não tem o desejo de magoar, mas dá uma vontade que você não consegue segurar.
E isso acontece, com todos.
Portanto, há de se compreender…
…que vontade é algo inerente, genuíno, nosso, que não morre de uma hora pra outra…
…vontade é algo mágico, é exceção, é mais que sentimento, é mais momento, é mais passado, mais futuro e mais agora é mais presença.
Vontade é querer.
É ter.
E compreender…
…que esta mesma vontade…
…nada mais é do que…
…nosso destino, nos impelindo a frente.
E aí!? Qual a sua maior vontade?

Nada mais há no mundo do que o próprio mundo.
Nosso mundo.
Aquele interior, que fantasiamos coisas, que imaginamos futuros lindos, que nos entregamos totalmente e que nos faz ver um mundo diferente.
Eu tenho paz. Quando estou nos dois mundos.
O interior e o exterior.
Devo, e sei que devo, apreciar e estar presente sempre nesse mundo exterior.
Pois estando fora, não estarei dentro.
O mundo interior, é carregado de fantasias, de sentimentos, emoções, alentos e desalentos.
O mundo interior, é o meu mundo.
Minha sensiblidade exala tão forte, que da mais bela flor ofusca-se a beleza, quando mostro minha luz.
Sou especial.
Às vezes, sou tão especial, que tenho medo de mim. Tenho medo de me perder loucamente de mim.
Medo de me precipitar…verbo, que lembra precipício.
Hoje, eu chorei por algumas horas.
E chorarei por alguns dias.
Mas não pela vida toda. Pois minha vida está no exterior.
Pois minha vida, que do interior se alimentava, no exterior ficará extasiada.
Ficará brilhante!
Limparei a bagunça do meu coração.
Tenho tempo, tenho imaginação.
Tenho criação.
Sou suficientemente forte, e Deus sabe disso.
Nunca deixarei de ser sensível.
Nunca deixarei de tentar amar plenamente.
Nunca deixarei de tentar me sentir liberto.
Sou o que sou…
…e o precipício, ao invés de me impelir mais profundo…
…traz-me à superfície…
…e me valorizo.
Me amo.
Muito mais do que qualquer mulher…
…sequer imaginará amar.
Serei etéreo por mim.
Serei de um vermelho carmim, tão brilhante…
…que mesmo os semblantes…
…ajoelhar-se-ão a mim.
Portanto, não me importo.
Lealdade, fidelidade e amor…
…virtudes que deixaram o mundo exterior…
…e interior…
…de cada ser…
…que quando não se me utiliza deles…
…ao invés de me matar…
…faz-me sobreviver…
…e me valorizar…
…crescer.
Sou ser, e você? Aprenderá a ser?

O vento soprava.
As nuvens cinzentas envolviam o brilho do sol…que não se escondia.
Brilhava sobre as ondas.
Podia-se ver debruçando-se sobre os pequenos montes que o ar movia naquele mundo de água, cada montinho!
De manhã, a natureza é mais bela.
Os pássaros conversam, fofocam, planejam a próxima refeição…
…outros planejam a viagem que farão.
Outros, apenas cantam, agradecendo a Deus pelo encanto da vida.
Como o ser humano pode ter olhos tão salobros?
Como o ser humano pode não enxergar e ainda duvidar que essa criação foi a mais perfeita já feita?
Como o ser…deixa assim de ser?
Valeu a pena minha visita a Deus. Quase cantei com o sabiá. Quase rimei com o bem-te-vi.
Achei que fazia aquilo por alguém.
Talvez pra mostrar o quanto sou espirituoso, bondoso, caridoso, amoroso..e um monte de adjetivos que inflam nosso ser.
E logo vi, que nada disso importava..apenas estar ali.
Logo vi, que eu nada era se ali não estivesse.
Aproveitando a vida, agradecendo a vida..e mais, vivendo!
Apaixonado como sou, não sabia que encontraria ali…
..uma válvula de escape para dar sentido a uma vida amargurada, de desconfianças, de falta de esperanças, de rumos.
Nada disso importa. Porque não há rumo. Não há desconfiança.
O passado já passou. Do futuro, não mais me alimento.
Eu já sou feliz. Muito mais do que qualquer pessoa que possa achar que é.
Eu não preciso de nada. Eu já tenho tudo!
Eu já tenho a vida.
Eu já tenho Deus.
Sou sortudo!
Porque sou!

—————————————————————————————————————————