Nada mais há no mundo do que o próprio mundo.
Nosso mundo.
Aquele interior, que fantasiamos coisas, que imaginamos futuros lindos, que nos entregamos totalmente e que nos faz ver um mundo diferente.
Eu tenho paz. Quando estou nos dois mundos.
O interior e o exterior.
Devo, e sei que devo, apreciar e estar presente sempre nesse mundo exterior.
Pois estando fora, não estarei dentro.
O mundo interior, é carregado de fantasias, de sentimentos, emoções, alentos e desalentos.
O mundo interior, é o meu mundo.
Minha sensiblidade exala tão forte, que da mais bela flor ofusca-se a beleza, quando mostro minha luz.
Sou especial.
Às vezes, sou tão especial, que tenho medo de mim. Tenho medo de me perder loucamente de mim.
Medo de me precipitar…verbo, que lembra precipício.
Hoje, eu chorei por algumas horas.
E chorarei por alguns dias.
Mas não pela vida toda. Pois minha vida está no exterior.
Pois minha vida, que do interior se alimentava, no exterior ficará extasiada.
Ficará brilhante!
Limparei a bagunça do meu coração.
Tenho tempo, tenho imaginação.
Tenho criação.
Sou suficientemente forte, e Deus sabe disso.
Nunca deixarei de ser sensível.
Nunca deixarei de tentar amar plenamente.
Nunca deixarei de tentar me sentir liberto.
Sou o que sou…
…e o precipício, ao invés de me impelir mais profundo…
…traz-me à superfície…
…e me valorizo.
Me amo.
Muito mais do que qualquer mulher…
…sequer imaginará amar.
Serei etéreo por mim.
Serei de um vermelho carmim, tão brilhante…
…que mesmo os semblantes…
…ajoelhar-se-ão a mim.
Portanto, não me importo.
Lealdade, fidelidade e amor…
…virtudes que deixaram o mundo exterior…
…e interior…
…de cada ser…
…que quando não se me utiliza deles…
…ao invés de me matar…
…faz-me sobreviver…
…e me valorizar…
…crescer.
Sou ser, e você? Aprenderá a ser?

Anúncios